Top
Tete – Travel Discover Mozambique
fade
19
page-template-default,page,page-id-19,mkd-core-1.2.1,mkdf-social-login-1.3,mkdf-tours-1.4.1,translatepress-pt_PT,voyage-ver-1.8.1,mkdf-smooth-scroll,mkdf-smooth-page-transitions,mkdf-ajax,mkdf-grid-1300,mkdf-blog-installed,mkdf-breadcrumbs-area-enabled,mkdf-header-standard,mkdf-no-behavior,mkdf-default-mobile-header,mkdf-sticky-up-mobile-header,mkdf-dropdown-default,mkdf-fullscreen-search,mkdf-fullscreen-search-with-bg-image,mkdf-search-fade,mkdf-side-menu-slide-with-content,mkdf-width-470,mkdf-medium-title-text,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 

Tete

Tete é uma Província privilegiada onde a natureza e o engenho humano competem para constituir o ex-libris da região. De um lado, a beleza natural, onde, ao plano da estepe com os seus embondeiros, árvores a que estão sempre associadas histórias transmitidas de geração em geração, se sucedem os vales profundos e verdejantes do Zambeze e seus afluentes. Do outro, essa obra gigantesca, a barragem de Cahora Bassa, a 2ª maior de África e a 5ª no Mundo, com uma albufeira que ocupa uma área de 2000 Km2, com 270 Km de comprimento e que na sua maior largura atinge 30 Km. Habitada predominantemente pelas etnias Nyanja, Nyungue e Sena, é uma região rica em recursos minerais e com aptidão para a agricultura e a pecuária, tendo também no ecoturismo forte potencial para desenvolver. Nas zonas mais recônditas abunda ainda uma grande variedade de fauna selvagem. Embora situada numa zona interior, tem uma posição privilegiada com fronteiras a Norte com a Zâmbia, a Leste com o Malawi, a Oeste com o Zimbabwé, e ligando-se a Sul às Províncias de Manica e Sofala.

Como Chegar

De avião a partir de Maputo ou Beira, em voos regulares ou de carro pela EN 6 que liga Beira a Machipanda. Pelas fronteiras, por Cuchamano a partir do Zimbabwé, por Zóbwè a partir do Malawi e por Cassacatiza a partir da Zâmbia.

Veja mais

Onde Ficar

Histórias transmitidas de geração em geração, se sucedem os vales profundos e verdejantes do Zambeze e seus afluentes.

Veja mais

Para Visitar

Hotéis, pousadas, residenciais, parques de campismo e complexos turísticos garantem boa acomodação aos visitantes. A barragem de Cahora Bassa, no Songo. A ponte suspensa sobre o rio Zambeze, construída nos anos 60, que liga a cidade de Tete ao centro carbonífero de Moatize.
A Igreja de Boroma, parcialmente em ruínas, mas que ainda mostra a grandiosidade do templo jesuíta construído no final do séc. XIX.
O Forte de S. Tiago Maior de Tete, construção militar portuguesa do séc. XVI. A fonte Nicho da Vila de Angónia. Os rápidos e quedas de água do rio Zambeze.
As casas tradicionais, ainda comuns nalguns distritos da Província, construídas com estacas e pedras nelas encaixadas e cobertas de colmo.

Veja mais

Pontos Turísticos

Visita ao monte Zumbo onde se podem encontrar fontes de água de grande qualidade. Safaris na zona do rio Mussenguezi abundante em flora e fauna bravia. Visita ao monte Carroeira para organizar deslocações e estadias convém contactar uma agência de viagens.

Veja mais

Vidas Nocturnas

Bares e discotecas garantem o entretenimento que as noites amenas suscitam.

Veja mais

Festas e Eventos

A dança tem características muito próprias nos diversos distritos desta Província. Destaca-se a dança “nhau” que é também uma iniciação e, como tal, exige demonstração de virilidade, sacrifício e heroísmo. Nesta dança utilizam-se máscaras de aspecto medonho.

Onde Comprar

Artesanato, incluindo máscaras e cestaria podem ser adquiridas em estabelecimentos de oferta mista.

Veja mais

pt_PTPortuguese
en_GBEnglish pt_PTPortuguese